23 de jul de 2014

Sobre a minha insegurança de dirigir


Faz muito tempo que tenho carteira de motorista e pouco tempo que voltei a dirigir.

Podemos dizer que fiquei 5 anos parada. E isso me fez tomar um pânico enorme de pegar no volante.
Ao voltar a dirigir, acho que nem lembrava com que pé pisava no freio e na embreagem...cheguei a ficar muito confusa em relação a isso. Não sabia pra que lado o volante virava a roda.

Fiquei bem assustada de início porque exigiam muito de mim. Mas não era como a bicicleta.

Voltei então, aos pouquinhos, lembrando das sinalizações, de que tinha que ligar o farol a noite, e como ligava...Mas ficava trêmula, já pensando em pagar umas aulas pras pessoas com insegurança e não querendo passar da 3ª marcha.

É incrível, porque só a gente sabe do terror interno que passa na gente. Não adianta as pessoas quererem nos convencer que é fácil lidar com isso. E isso envolve várias outras coisas que estão escondidas dentro da gente. E aos poucos vamos nos questionando o porquê de tanta insegurança, tanto medo de lidar com as coisas que são naturais das pessoas aprenderem. Ouvi muita zoação, gritos...vi pessoas que me acompanhavam segurando o pqp ou tentando pegar no volante ou até no freio de mão.

E então, chegou uma hora que venci. Trabalhei tudo dentro de mim, meus pensamentos, nervosismo, vergonha, medos e ansiedades. E sim, aqueles que diziam que só ia melhorar praticando, tinham razão.
Não adiantava eu ficar parada em casa, recebendo caronas e não pegando o carro. Fui em frente, mesmo que com várias caras e bocas, quando me forçavam a dirigir e pratiquei. Todas essas vezes acompanhadas.

Mas descobri que era melhor dirigir sozinha...gritar comigo mesma, cantar junto com o rádio e falar sozinha questionando os outros motoristas.

E um dia, correndo pra ir trabalhar, já pensando nos 2 ônibus que ia pegar no centro, olhei pro meu carro, ali, na garagem, parado por causa da minha falta de coragem...Resolvi sem olhar para os lados, sem pensar, pegar minha chave e sair pelo portão com ele. Foi uma libertação. Foi O MOMENTO. Quebrei todas as barreiras (treeemendo de medo, rezando pra que nada acontecesse) e fui. Cheguei viva e voltei viva!
Fiquei tão feliz que tive que ligar pra várias pessoas quando cheguei. Todas se orgulharam de mim, assim como eu mesma.

E hoje não largo o volante, é incrível o sabor da independência...ainda dou manota e fico insegura? Sim...mas entendendo tudo como aprendizado, levo na boa. Porque é isso que me move agora: aprender cada vez mais!

4 comentários:

  1. Que lindo Fê!!! mto feliz e orgulhosa de vc!! rsrs É bom d+ dirigir. Mas pra mim ainda falta a carteira. aff... mas tá qse saindo. Bora sair e perambular por bh??? Animo sentar no banco da carona (sem segurar no pqp). bojos

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Jajá a gente tá revezando então né, Marcela! Só vc sabe o quanto sofri...rs
      Bora perambular sim!!! Beijos!!!

      Excluir
  2. Passei por uma situação muito parecida com a sua e ainda estou recobrando minha confiança, mas ler seu post me animou bastante. Quando eu tirei minha CNH, fui muito bem nas aulas e na prova e dirigia muito certinho, até o dia em que eu sofri um acidentezinho bobo, que nem foi culpa minha e fiquei 4 anos sem dirigir. Voltei a pegar o carro esse ano. É um pouco complicado porque aqui em casa temos apenas um carro para nós 3 e eu passo a maior parte da minha semana em outra cidade. Mas tenho tentado dirigir sempre que posso e melhorado muito. :)

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Que bom que te animei, Daniela! Vou te contar viu, foi muito difícil, dolorido até...mas quando essa onda de insegurança passa, você percebe que é capaz de tudo na sua vida!
      Beijos!

      Excluir