18 de jan de 2015

Não é só um piercing


2015 é o meu ano da busca pelo auto-conhecimento e principalmente da minha auto-afirmação.

Recentemente tive um sonho que me deixou completamente perturbada. Nele, uma outra garota chegou e tomou o meu lugar. E eu simplesmente fui ao banheiro de cabeça baixa remoendo coisas que não conseguia dizer a ela. Foi um episódio que se contado no relógio teria 5 minutos de duração, somente.

Meus sonhos mexem comigo, sempre querem me mostrar algo. E depois desse, chorei e muito. Foi um sonho muito enigmático e me incomodou por dias...não conseguia esquecer.
Fiquei me perguntando o que essa garota tinha de tão superior a mim. Por que eu não consegui enfrentá-la? Por que me sentia tão menina diante dela que era tão mulher?

Descobri então, depois de tanto refletir, que havia um bloqueio em mim e ele vinha da minha baixa auto-estima que carrego. Não é que não gosto de mim, da minha beleza...a minha auto-estima envolve auto-afirmação, me sinto inferior diante de outras pessoas.

E foi exatamente isso que senti diante da garota do sonho. Mas a razão eu não sabia. Sabia somente que deveria trabalhar isso em mim de agora em diante.

Depois desse sonho, num dia de feira hippie, comentei com minha irmã que tinha vontade de furar o nariz..ela me incentivou, mas sempre fomos vetadas dessa ideia, já que ainda moro na casa dos meus pais e que seria expulsa se fizesse uma coisa dessas.

A ideia foi esquecida, mas relembrada com um singelo presente de natal que dizia: "vale um furo no seu nariz".

Seria um afronto se eu fizesse isso.

Analisei bem a ideia e acabei decidindo em não causar situações desagradáveis...pra que me desgastar por causa de um furo no nariz?

Mas voltei a refletir e fiz um trabalho de busca pelo facebook (pode parecer ridículo, mas eu precisava fazer isso) pelas garotas que tinham piercing no nariz. E me propus a perceber o que elas causavam em mim. E vi que diante delas eu me sentia inferior. O que elas tinham que eu não tinha além do piercing? Por que elas demonstravam tanta superioridade?

Percebi então que meu caso era bem sério..rs
Percebi que o que me faltava era o enfrentamento, não pelo sentido ruim da palavra, para causar discórdia. Mas o de enfrentar mesmo as barreiras, o domínio que existe sobre mim há muito tempo.
Percebi que me falta ser dona de mim mesma. E se há falta disso, como eu posso me auto-afirmar? Como posso ser eu mesma por inteira?

Depois de toda essa reflexão, a decisão de furar foi tomada.
Chorei por dentro, não por causa da dor do furo, que dói só um pouquinho, chorei por rasgar uma camada dessa bolha que me trava, que faz eu me sentir inferior.
Tive medo da reação da descoberta. Mas teria que ser forte pra isso.
A descoberta aconteceu, sem muito o que falar. Mas sei que ainda não foi esclarecido.
Preciso que tudo isso esteja bem claro pra mim para que eu possa transformar em palavras, mas ainda está bem embolado.

O furo me trouxe mais poder? Sim, mas o sentimento é inexplicável ainda.
Só sei que fiz a escolha certa e posso continuar por esse caminho.


Vou continuar nessa busca pela auto-estima e auto-conhecimento e espero poder compartilhar aqui no blog. Fiquem à vontade para acompanhar e, mais ainda, para comentar sobre suas experiências.

Beijos!

3 comentários:

  1. Respostas
    1. Obrigada, Crestomanci!!!
      Vamo que vamo!
      Beijos e adoro te ver por aqui!

      Excluir
    2. Fernanda, estou na msma busca! E sim, ja tive um sonho parecido que me fez refletir e de uma certa forma da uma partida nessa busca...obrigada pelo texto que me fez me sentir um pouco acolhida rsrsrs...boa sorte nessa caminhada! Gratidão ❤

      Excluir