3 de out de 2013

Minha vida sem Refrigerante

Estou sem tomar refrigerante há 3 meses!
Não foi por dieta ou meta de ano novo. Parei porque prometi. E é engraçado como promessas possuem um peso na vida da gente...levamos mais a sério do que qualquer coisa: cabelos que não são cortados, subidas de escada de joelho e comidas que são evitadas...

Bom, a minha vem de uma história tão engraçada, que faço questão de cumpri-la e contar pra vocês (e pra todo mundo que pergunta "por que você não toma mais?"):

Um belo dia, participei de uma rodinha de reggae e samba na casa de amigos do meu namorado e não conhecia ninguém. De lá, fomos para uma casa de show. E aí, saindo da casa, vi que a menina que estava tocando pandeiro esqueceu seus anéis na mesa. Peguei os anéis, gente boa que sou, e levei nos meus dedos pra devolver pra ela quando chegássemos lá. Como havia bebido razoavelmente (bem), no caminho, deixei um dos anéis cair na Avenida Brasil. E fiquei falando e olhando pro chão (imaginem a cena):"Peraí, peraí, um anel caiu" E meu namorado: "Não, não caiu, vamo lá". Me puxou e fomos.

Acabou que a menina tinha ido embora, não foi lá pra casa de show e levei os anéis pra casa.

No outro dia a noite, no domingo, meu namorado falou que o marido da menina do pandeiro tinha ligado e falou que eram 5 anéis e que um deles era especial pra ela, que era da avó e tal...e eu contei os anéis, 4. Fudeu, perdi mesmo. Fiquei doida, porque nem conhecia a menina. E fiquei pensando: por que fui ser boazinha, por que não deixei os anéis lá na mesa?!

Aí peguei um dos meus anéis, um lindo de elefante, que era a cara dela, pra dar na intenção de me desculpar.

Mas aquilo me incomodou tanto que eu não consegui dormir direito. Fiquei com medo de ter perdido justamente o que era especial.

Na segunda-feira então, dei a loka e resolvi voltar na Avenida Brasil no horário de almoço do meu trabalho pra procurar esse bendito anel. E no caminho até lá fiquei implorando pra achar e limpando meus olhos pensando que eles não podiam ficar embaçados naquele momento (hahahaha).

Voltei mais ou menos no lugar que achava que tinha perdido e fiquei olhando pro chão. As pessoas olhavam pra mim e não entendiam. Eu ia e voltava pela Avenida Brasil olhando pro chão. E nisso pensando: Ô meu Deusinho, deixa eu achar esse anel...por favor...São Longuinho São Longuinho...ó, se eu achar, prometo que não tomo mais refrigerante.

Pá!
Achei o anel.

Quase abracei as pessoas na rua, pulei pra São Longuinho e voltei felicíssima da vida!

A noite fomos lá na casa da menina do pandeiro e do marido dela pra devolver e, pasmem, era o "anel especial". Contei pra eles a história e morremos de rir!

Acabei dando o anelzinho de elefante, que ela adorou, e ganhei uma amiga! Só estou precisando firmar um almoço com ela que até hoje não rolou, né Lu?!

E é isso, desde então não bebo mais refri. E foi bom, não sinto (tanta) falta e estou me sentindo completamente mais saudável!

Todo mundo sabe que refri faz mal e eu nem preciso escrever aqui, né?!
E você, tem alguma história engraçada de promessas feitas?

Conta aê!!!

Um comentário:

  1. kkkkkkk... Essa história é ótima, Fê!!!!
    Eu também ando numa promessa agora: tô sem arroz até dezembro. Vixi... rezando para conseguir manter a promessa...

    Bjs!

    Bjs!!!

    ResponderExcluir